Read More Read More

" />
Visitando um recém-nascido: regras de ouro

Visitando um recém-nascido: regras de ouro

Sua amiga, parente ou conhecida está grávida e em breve terá um lindo bebezinho, e você não resiste a esses encontros? Que legal! Afinal, celebrar a chegada de um bebê é realmente encantador. Ainda mais quando podemos ver aquelas fofurinhas assim que nascem.

Só que para evitar algumas gafes, vergonhas e incômodos, principalmente se você nunca foi pai/mãe, vale a pena dar uma olhada nessas regrinhas antes de sair de casa. E se vocês, futuros papais, quiserem evitar constragimento, vale mostrar esse texto para os familiares e amigos ou falar sobre o que desejam ou não que aconteçam nesse início, que é um período de adaptação da família que acaba de se formar.

  1. Visitar ou não?

Antes de sair de casa para ir à maternidade ou à casa, sonde com a família se eles desejam receber visitas. Nem sempre eles estão preparados para recebê-las neste início. Por isso, não fique triste se os pais se recusarem. Com certeza, em outro momento, você será muito bem-vindo e sua presença será igualmente especial.

  1. Na maternidade ou em casa?

Se a família disser que aceita a visita, veja o que é melhor com ela: se na maternidade ou em casa. Isso porque apesar de na maternidade a mamãe ter mais apoio de enfermeiras, muitos amigos podem ter a mesma ideia de visitá-la lá e o “descanso” que a mamãe teria, pode não acontecer devido ao grande “entra e sai” de pessoas. Desta maneira, receber em casa daria tempo de organizar melhor a quantidade de visitas. Por outro lado, muitas mães preferem evitar receber os amigos em casa, porque ainda não sabem como se adaptarão a nova rotina com o recém-nascido. Além do que, receber visitas em sua casa pode acabar estendendo a duração do encontro, pois os visitantes podem ficar se sentindo mais à vontade do que em um hospital, e isso pode gerar uma preocupação a mais para os papais quanto aos cuidados da casa ou o que servir pros amigos.

  1. Melhor horário?

Em especial para quem recebe a visita em casa: SEMPRE ligue antes para saber que horário é melhor, de forma que não atrapalhe a rotina do bebê e da mamãe. De preferência, vá até a casa da família evitando os horários de almoço e janta.

  1. Quanto tempo de visita?

Gente, bom senso sempre é o ideal. Uma visita não deve passar de 15 a 30 minutos, afinal, este não é o momento pra botar a conversa em dia, e sim demonstrar carinho pela família, é a famosa “visita de médico”. Evite o constrangimento da nova família ter de pedir pra que você se retire pois precisa descansar. Em especial, se foi um parto desgastante como o normal.

  1. Quero visitar, mas não devo se…
  • Primeiramente, se você estiver doente ou resfriado, afinal, ninguém quer que o recém-nascido se contamine com viroses assim que nascer. Seu corpo ainda é muito frágil e sem imunidades suficientes.
  • Acabou de fumar. Não há nada mais incômodo do que receber pessoas que estão com cheiro de cigarro e ainda querem tocar no bebê. Aguarde a vontade de fumar pra depois da visita. É mais prudente e higiênico.
  • Estiver muito perfumado. Os médicos não indicam o uso de perfumes para as pessoas que terão contato com o RN, afinal seu olfato ainda é muito delicado e sensível.
  1. Posso levar meu filho pequeno para visitar o bebê?

Mesma regra do tempo de visita, bom senso é a resposta. Se você conhece bem o seu filho e sabe que ele vai se comportar super bem neste curto período, ótimo. Agora se você acha que ele fará escândalos, barulhos ou que vai querer ficar mexendo na bebê, evite levá-lo. Dessa maneira você pode evitar que os novos papais passem por uma saia justa ao desejar que o encontro acabe antes do tempo.

  1. Mãos limpas: sempre!

            Independente se os pais vão oferecer a criança para que você a segure, ao chegar para visitar, lave SEMPRE as mãos. Se não tiver como lavá-la, use um álcool gel para “quebrar um galho”. E se você estiver o dia inteiro com a roupa usada (e suja, claro), escolha um outro momento que você acabou de tomar banho pra fazer a visita.

  1. É bom ir embora quando…
  • A mamãe for amamentar o bebê. Este momento de conexão entre os dois é importante que ocorra em um ambiente calmo e sem falatório. Especialmente nas primeiras vezes em que mãe e RN estão se adaptando um ao outro.
  • Os médicos ou enfermeiras chegarem. Em geral, neste momento eles querem saber ou passar informações aos papais ou realizar procedimentos mais íntimos com a mamãe (como ver se o seio está produzindo colostro ou ver os pontos da cirurgia) ou orientarão sobre algum procedimento a ser realizado com o bebezinho. Os papais precisam se concentrar nestas situações para os novos ensinamentos.
  1. Eu não devo…
  • Acordar o bebê. Acho que nem preciso explicar o porquê, né? Mas sempre tem uma tia, uma amiga ou aquela pessoa sem noção que sai mexendo na criança que tá dormindo e se adaptando a nova realidade pós-útero.
  • Pegar o bebê no colo, a não ser que os pais o ofereçam. Existem pais que não se incomodam que o bebezinho rode de colo em colo, mesmo depois de horas de nascido. Já outros preferem deixar o bebê descansando mais sossegado, mexendo nele o mínimo possível. Por isso, se ninguém o ofereceu a você, resista a vontade de tocar na fofurinha.
  • Tirar foto do bebê e postar na internet sem o consentimento dos pais. Novamente, pergunte aos pais se eles se incomodam que fotografe o bebê (sem flash, por favor!) e, principalmente, que poste nas redes sociais. Pergunte antes, afinal, você pode, sem querer, gerar um desgaste desnecessário.
  • Pegar nas mãos ou beijar o bebê. Não, você não deve mesmo! Eles estão com o sistema imunológico muito simples pra correr o risco de terem contato com a quantidade de vírus e bactérias que você, adulto, teve contato ao longo do dia.
  • Dar palpites e opiniões. Não é porque você fez assim ou assado há 10, 15 anos atrás, que seja o ideal. A nova mamãe provavelmente está com muitas inseguranças para ficar ouvindo pitacos do tipo: “esse bebê tá com jeito de ter fome”, “dá logo mamadeira pra ele” ou “você está mal acostumando o bebê no colo direto”.
  1. Eu posso/devo…
  • Levar uma lembrancinha. Você não é obrigado a levar nada. Mas é sempre de bom tom e delicado presentear o recém-nascido ou seus pais com algum presentinho ou flores, por exemplo.
  • Levar uma lembrancinha para outros filhos da família, caso haja. Em especial se for criança pequena. É comum nos esquecermos dos filhos maiores, no afã de ver o bebê que acabou de chegar. É uma gentileza levar qualquer lembrancinha (simples mesmo), afinal você evita até ocasionais ciúmes do mais velho com o mais novo (porque agora ele já não é mais o centro das atenções na casa).
  • Levar comida/ ajudar nos cuidados da casa. Essa é pra quem é bem íntimo mesmo. Se você se sentir à vontade e a família também, ajudar a lavar uma louça, levar uma comida congelada, frutas ou ajudar em algum cuidado doméstico, será uma baita auxílio pros novos papais. É claro, se a família não se ofender.

Essas regrinhas ajudarão demais tanto aos novos papais, como aos familiares e amigos na hora da visita e, com certeza, eles se sentirão muito especiais e amados por receberem a sua presença nesta fase tão deliciosa (e desgastante) de suas vidas.

Com carinho,

Nana.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook User Timeline

Close
homepage