Read More Read More

" />
Levem seus filhos ao museu!!!

Levem seus filhos ao museu!!!

            Gostaria de começar esse texto fazendo uma apelo aos pais (principalmente), mas também aos tios, avós, padrinhos e madrinhas: levem suas crianças ao MUSEU!!!!!! Na matéria de hoje, vamos falar da importância da vivência de visitar museus para as crianças, desde bem novas.

            Para ser sincera eu não me lembro de ter frequentado muitos museus na minha infância. Acredito que os tempos atuais estão bem mais propícios para isso. Cada vez mais temos novos museus e o mais legal é que tenho visto bastante exposições voltadas para crianças, com atividades após a visitação, museus interativos, algo bem lúdico e focado para os nossos pequenos.

            Quando eu comecei a me apaixonar por museus, já era um pouco maior, mas depois que comecei a viajar pelo mundo afora, essa paixão ficou mais aflorada em mim. Museus que contam a história da humanidade, a história do mundo natural, de determinadas épocas da história do homem, sobre guerras, sobre o cotidiano, sobre determinada pessoa pública ou que nos inspira. Desde então, adoro museus! E não poderia deixar de mostrar esse “mundo à parte” ao meu filho, Antonio.

            Lembro que quando ele tinha por volta dos cinco meses, eu queria muito ir a uma exposição que estava tendo no CCBB (aqui do Rio) mas eu não tinha com quem deixá-lo. Lá fui eu com Antonio, carrinho e bolsa para o CCBB, no centro do Rio. E a minha satisfação foi alta, porque tinha rampa de acesso, elevador, os funcionários foram bem solícitos e também havia fraldário próximo aos banheiros.

            Quando ele tinha em torno de um ano e três meses, o levamos ao Chile e a Argentina, nossa primeira grande viagem e lá também tinham bons museus voltados para as crianças. Inclusive no Chile, fomos a um que era interativo (Museu Interativo Mirador), ou seja, as crianças podiam mexer em tudo! Foi um dos pontos altos da viagem, com certeza.

            Semana passada, buscando atividades diferentes para fazer com o Antonio, me deparei com uma exposição no Centro Cultural da Caixa para crianças. E lá fomos nós de novo! A gente sempre tem receio de como eles vão se comportar a medida que crescem e ganham mais autonomia. Apesar da exposição ser de brinquedos colecionados (por 30 anos) no Nordeste, ele não poderia tocá-los. Mesmo assim, quis levá-lo. Só o deslocamento, o próprio museu que é grande e cheio de pinturas e obras decorando e a própria exposição, já valem o passeio.

Eu entrei com ele no colo, fui passando pela exposição e mostrando os brinquedos de madeira, de plástico, de ferro e ele foi falando os nomes dos brinquedos e os que não conhecia, eu fui explicando. Lá dentro na própria exposição tem uma espaço reservado com brinquedos que as crianças podem mexer e brincar, ficamos um pouco nesse espaço e depois voltei com ele para a exposição, agora com ele andando sozinho, mas eu sempre ao lado dizendo que não poderia tocar os brinquedos, somente olhar. Deu super certo!

          Saí da exposição feliz, realizada e satisfeita por perceber que por mais que pareça difícil eles entenderem as regras de convívio ou até mesmo a dificuldade do deslocamento até o museu, vale a pena! Principalmente quando vemos as reações deles, quando percebemos que eles aprendem e muito com essas experiências. Para finalizar com chave de ouro a vista ao museu, tinha um piano enorme no hall, o Antonio se aproximou para ver e a facilitadora do museu disse que ele poderia tocar. Ela sentou com ele no colo e ficaram uns 5 minutos tocando as teclas do piano lindo que decora o ambiente! Voltei com ele para casa no metrô, já dormindo no meu colo. Essas atividades exigem muito deles pois têm muitas novidades e detalhes para suas mentes absorverem.

        Eu não tenho dúvidas dos benefícios dos museus para as pessoas em geral, para as crianças então, esse hábito deve ser construído desde novo e muita coisa é aprendida apenas observando. Vou citar abaixo alguns benefícios de visitar museus para as crianças:

 

       Desenvolvimento do pensamento crítico;

       Desenvolvimento de novas habilidades;

       Interesse pelas artes e cultura;

       Desperta criatividade e imaginação;

       Aprendizado de forma lúdica, consolidando o que aprendeu na escola;

       Maior concentração;

       Aprende a obedecer as regras e limites que o local impõe para visitação;

       Aprende a incorporar a visita a museus em sua vida adulta.

 

“Ao contrário do que acontece na escola, onde a formação se dá pela frequência diária às aulas, uma visita ao museu pode ter tempos diferenciados e acontecer paulatinamente ao longo da vida, em diferentes ocasiões, independentemente de idade e grau de conhecimento. Além disso, a experiência dos visitantes será sempre distinta de outras: cada um vai observar, compreender e absorver o que está exposto ou escrito de maneira diferente. O aprendizado no museu tem, enfim, um caráter único, sempre condicionado à experiência individual do visitante e das circunstâncias em que ocorreu a visita, na medida em que as percepções variam segundo o contexto da visitação.”

 

Fontes:

http://www.revistadehistoria.com.br/secao/educacao/museus-emocao-e-aprendizagem

http://artenaescola.org.br/pagina/?id=72187

https://br.guiainfantil.com/materias/educacao/aprendizagem/o-que-podem-aprender-as-criancas-nos-museus/

 

Lilica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook User Timeline

Close
homepage