Read More Read More

" />
Dicas de lanches saudáveis para a hora do recreio!

Dicas de lanches saudáveis para a hora do recreio!

No início da infância, as crianças não têm domínio total sobre suas escolhas alimentares, embora saibam controlar sua saciedade e selecionar aquilo que as agradam mais. Não possuem domínio total sobre suas escolhas por não possuírem autonomia para realizar a compra e o preparo dos alimentos.

Os responsáveis e familiares que residem com a criança ou que estão frequentemente na sua rotina têm o poder de melhorar a qualidade do que é ofertado e incentivar o consumo de alimentos verdadeiros e saudáveis.

Se ao abrir o armário ou a geladeira da cozinha, a criança se depara com alimentos frescos e originados da natureza, em detrimento de produtos ultraprocessados, as escolhas alimentares se tornam mais adequadas naturalmente.

Conforme o tempo vai passando e a idade aumentando, a criança se torna mais ativa nas compras dos seus alimentos. Um exemplo disso é quando ela já recebe um valor em dinheiro para a compra de lanches na cantina escolar.

A partir desse momento ela tem domínio sobre como administrar esse dinheiro de acordo com a escolha dos produtos expostos no local. Em geral, as cantinas escolares oferecem salgados, biscoitos industrializados, bebidas açucaradas e doces. Algumas possuem opções mais saudáveis, como sucos naturais e salada de frutas.

E agora? Será que é possível melhorar o lanche escolar sem retirar a autonomia de escolha e a responsabilidade da criança?

Sim! Lance mão de algumas estratégias. Tente selecionar apenas alguns dias da semana para a compra do lanche na escola, um ou dois dias, por exemplo. Dessa forma, a criança permanece com a responsabilidade de refletir sobre suas escolhas, continua inserida na rotina das outras crianças, e ao mesmo tempo não fica vulnerável a exposição diária de inúmeros produtos industrializados.

Realize uma visita à cantina da escola e verifique quais os alimentos e produtos vendidos, assim como o valor dos mesmos. Em casa, quando a criança retornar da aula, pergunte qual foi a sua escolha e tente incentivar o consumo daqueles mais saudáveis.

Entregue também, a princípio, um valor diário a partir de uma média de preço dos produtos que pesquisou durante sua visita. Assim, minimizará as chances da criança ter troco na compra e pegá-lo em balas ou doces.

Lembrando, que as escolhas alimentares realizadas nessa fase são também consequência da educação alimentar ocorrida desde o início da vida. Então, os exemplos em casa desde cedo ajudam nesse momento.

E quando a criança não realiza a compra do lanche na escola? Quais as melhores opções para levar na lancheira?

É comum, ao abrir as lancheiras escolares, encontrar biscoitos recheados, bolos industrializados, bebidas açucaradas, pães tipo bisnaguinha recheados com embutidos e leites fermentados. Esses produtos apresentam grande quantidade de açúcar, gordura e sódio, e baixo teor de nutrientes importantes para os desenvolvimentos físico e intelectual da criança. Quanto menor a frequência desses produtos na rotina da criança melhor. Vamos falar um pouquinho de alguns deles?

Os pães tipo bisnaguinha são queridos por todos, mas eles contêm o dobro de gordura de um pão de forma tradicional, além de possuírem menos fibras. E se for o bisnaguinha integral? Não adianta muito, pois a quantidade de fibras continua baixa e em algumas marcas a quantidade de sódio nessa versão é ainda maior. As melhores opções para substituição são os pães de forma integrais, de milho, de batatas, e se caseiros, ainda melhor. Que tal convidar a criança para preparar seu próprio lanche escolar?

Os leites fermentados são adorados pelas crianças também. Eles contêm Lactobacilos vivos, que são benéficos ao intestino, porém possuem açúcar. Seu consumo deve ser limitado e moderado, e não deve ser oferecido a crianças menores de dois anos, assim como as outras bebidas açucaradas. Essas bebidas são selecionadas pelos responsáveis, normalmente, por serem práticas e possuírem uma durabilidade maior. Por que será que duram tanto tempo? Reflita!

Por mais que haja uma perda de nutrientes ao manipular a fruta do suco, ela é pequena e continua sendo a melhor opção em comparação aos sucos de caixinha. Faça gelinhos com as polpas das frutas e bata com água antes de sair de casa, para manter a temperatura e deixar menos tempo pronto na geladeira, evitando mais perdas.

Além disso, pingue três gotinhas de limão para cada 200ml de suco a fim de evitar a oxidação da fruta. Quando armazenado em garrafa térmica, melhor ainda, podendo ser consumido até três horas após seu preparo.

Quanto aos embutidos, como presunto, mortadela e peito de peru, são restos de carnes com aditivos químicos. Será que isso é bom para a saúde? As pastinhas caseiras são as melhores opções. Elas podem ser preparadas em um dia e duram em média por até três dias na geladeira. Adicione, por exemplo, frango desfiado, iogurte natural, ricota e legumes!

Monte o lanche escolar com ajuda da própria criança para que ela dê sugestões e possam debater juntos sobre as melhoras escolhas. Em geral, é importante ter uma fonte de carboidrato (pão ou bolo caseiros), uma fonte de proteína (pastas caseiras protéicas, iogurte natural ou queijo) e uma fonte de micronutrientes (fruta ou suco da fruta).

Use a criatividade e capriche no lanche! Essa refeição não é ocasional, ela é um hábito da criança, pois é realizada em grande parte da semana!

 

Priscilla La Marca e Anna Carolina Ghedini

Nutricionistas da Nutriped

IMG-20160601-WA0029

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook User Timeline

Close
homepage